terça-feira, junho 2

PEQUENO CONTO

Foi amado por muitos e odiado pelos mesmos.
Cada um a seu tempo - O amor e o ódio !
Sentimentos opostos mas unânimes
Combater o ódio, seria o mesmo que destruir o amor.

Destruir a si próprio, não seria prudente !

Como certos valores não caminham juntos,
nunca questiona a sorte, e a única parada
não era de seu agrado.
O pacto não poderia ser rompido
seu comportamento não poderia ser passado a limpo,
enquanto suas testemunhas
o impedissem de pensar.


(Cibele Camargo - Do Livro "Dublê de Pássaro)

6 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Enquanto suas testemunhas
o impedissem de pensar.


Amor e ódio [e ambivalências] são [quase] indissociáveis dessa nossa condição humana. De vez em quando, sobrepujamos isso. Por exemplo, no amor materno [no caso da excelência desse amor - em algumas pessoas, diga-se de passagem]. Não poderia essa personagem, tão consciente de si mesma, romper tal pacto...



Belo conto, bem escrito [a pequena correção acima, de concordância, é feita com carinho]. E o título do livro, "Dublê de Pássaro" é ótimo.






Beijos, e parabéns!








Marcelo.

daufen bach. disse...

Poxa!!
que coisa linda. não só essa poesia, mas todo o conteúdo aqui...
e, eu que naão conhecia!!

muito prazer tania!
muito prazer cibele!

Tania Nascimento disse...

Oi, Novaes!

Obrigada pelo acompanhamento atento!

Lindo fragmento, não??

Bjs

Taninha

Tania Nascimento disse...

daufen bach,

o prazer é nosso!!

Muito obrigada!

Abraços.

Marcelo Novaes disse...

Sim, Tania.

Muito bom o fragmento!


Sem dúvida!



Beijos,







Marcelo.

Imóveis à venda disse...

Conheça o melhor site de Imóveis do Litoral. Acesse www.IMOVEISAVENDA.net e saiba mais!!!